debates

Entre setembro e dezembro de 2020, os grupos da mostra Córregos Vivos propõem debates com outros-as convidados-as sobre os temas de interesse.

15.12  19h 

Escavações: mineração e águas

Armando Queiroz, Camila Leal, Mauricio Leonard, Frederico Canuto, Louise Ganz e Maria Cecília Rocha 

Presença de intérprete de Libras

Armando Queiroz é nascido em Belém do Pará e vive e trabalha entre Belém, Rondon do Pará e Belo Horizonte. É artista visual, curador independente e técnico em museu, obtendo seu doutorado pela Escola de Belas Artes de Minas Gerais em 2020 com o título “Destino Eldorado”, cujo trabalho faz aproximações da atividade minerária em diversos territórios, do norte ao sudeste do país. Camila Leal é moradora de Casa Branca, Brumadinho; advogada popular do Movimento Águas e Serras de Casa Branca; diretora jurídica da Associação Comunitária Regional de Casa Branca; conselheira da Associação Comunitária do Jardim Canadá no Parque Estadual da Serra do Rola Moça; membro do Coletivo de Atingidos da Arquidiocese de Belo Horizonte, Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário. Mauricio Leonard é professor da Universidade Federal de Ouro Preto, onde atua em projetos de extensão relacionados a agroecologia, ocupação territorial regional e planejamento urbno. Atualmente pesquisa a disputa de terras entre a atividade minerária na região e a agricultura familiar. Frederico CanutoLouise Ganz e Maria Cecília Rocha participam da mostra Córregos Vivos.

 

 

05.12  11h

Águas de morar: correntezas imobiliárias na bacia do cercadinho

Márcia Marques, Rogério Palhares, Aline Franceschini e Maria Cecília Rocha 

Presença de intérprete de Libras

 

Márcia Marques é geógrafa e professora universitária. Fundadora e gestora do projeto Cercadinho Vivo, conselheira do Núcleo Cascatinha e coordenadora representante da Sociedade Civil do SCBH Arrudas.Trabalha atualmente no Instituto Guaicuy (projeto Manuelzão). Rogério Palhares é arquiteto e urbanista, sócio-fundador da Práxis Consultoria e professor do Departamento de Urbanismo da UFMG. Aline Franceschini e Maria Cecília Rocha integram a mostra Córregos Vivos.

17.11  19h 

Conversa com Sr. Hélio: um passeio por rios e árvores siameses

Hélio da Silva, Lígia Bicalho, Carla Magna e Luiza de Paula 

Presença de intérprete de Libras

 

Hélio da Silva é plantador de árvores. Desde 2003, realizou o plantio de mais de 31,3 mil árvores, abrangendo mais de 150 espécies da mata atlântica, sendo mais de 25 mil no parque linear Tiquatira na Zona Leste de São Paulo. Lígia Bicalho, formada em Ecologia, faz parte da comunidade atuante no cultivo agroecológico do Centro Municipal de Agroecologia e Educação Ambiental para Resíduos Orgânicos - CEMAR (Estoril/BH). Carla Magna e Luiza de Paula integram o grupo Jardins Viventes da mostra Córregos Vivos.

14.11  11h 

Lavar o mal

Amanda Monteiro, Cássia Franca, Lílian Santiago, Louise Ganz, Maria Cecília Rocha, Olívia Viana, com obras dos artistas convidados Agnaldo Canuto, Cleber Santana e Fábio Silva. 

 

Lavar o mal são leituras e imagens produzidas para falar de viventes, cidades borradas, desertos e águas. Uma ação do Gabinete de criação pictórica desejante sensório-artesanal de apreensão de impulsos perspectivos de fatos imponderáveis da vida.

11.11  19h 

Lançamento do filme "O Escafandrista do Cercadinho" + bate papo com Daniel Carneiro, Affonso Uchoa e a equipe do filme

Presença de intérprete de Libras

1. Para entrar na sala de cinema virtual na plataforma Zoom, clique neste link que ficará aberto a partir de 18:45 no dia 11/11 e aguarde o início da sessão.

 

2. O filme será exibido às 19h nesta página e para que todos-as possam assistir simultaneamente. Você também pode assistir neste link.

 

3. Após a sessão, abriremos as câmeras na sala virtual de cinema para fazer comentários e perguntas. A discussão também será transmitida nesta página e você pode participar pelo chat do YouTube. Teremos presença da equipe de produção e do elenco do filme, além dos convidados Daniel Carneiro e Affonso Uchoa.

filme:
debate:

24.10  14h

1ª grande assembleia do Banco Cercadinho

22.10  18h

Novos mundos a partir da solidariedade

Egeu Gomez Esteves, Leonardo Leal, Frederico Canuto e Lila Gaudêncio

Presença de intérprete de Libras

Egeu Gomez Esteves é psicólogo e professor de políticas urbanas no Instituto das Cidades da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Atua principalmente nos temas da autogestão, cooperativismo e economia solidária. Leonardo Leal é professor de administração pública na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e coordenador da Incubadora Tecnológica de Economia Solidária - ITES/UFAL. É também doutorando em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Frederico Canuto e Lila Gaudêncio participam do grupo Economias dos afetos da mostra Córregos Vivos.

17.10  18h

Etnobotânica na bacia do Cercadinho

Ângela Gomes e grupo Jardins viventes

Presença de intérprete de Libras

Ângela Gomes é ecofeminista negra, engenheira florestal, mestre em Contaminação ambiental e  coordenadora e militante do Movimento Negro Unificado. No doutorado, investigou a etnobotânica negro-africana e realizou estudos com moradores e quintais na bacia do Cercadinho. O grupo Jardins viventes participa da mostra Córregos Vivos.

15.10  18h

Moeda social e outras economias possíveis: experiências solidárias 

Joaquim Melo, Leonora Mol, Natalia Sciammarella, Frederico Canuto e Lila Gaudêncio

Presença de intérprete de Libras

Joaquim Melo é teólogo, educador popular, líder comunitário, fundador do Banco Palmas (Fortaleza-CE) e coordenador geral do Instituto Palmas e da Rede Brasileira de Bancos Comunitários. Leonora Mol é psicóloga, fundadora do Banco Bem (Vitória-ES), coordenadora da Rede Brasileira de Bancos Comunitários e presidente da ONG Ateliê de Ideias e da Rede Desenvolver. Natalia Sciammarella é diretora Presidente do Banco Mumbuca (Maricá-RJ) e colabora com ações de finanças solidárias, educação financeira e linhas de crédito produtivo. Frederico CanutoLila Gaudêncio participam do grupo Economias dos afetos da mostra Córregos Vivos.

29.09  19h

Memórias do Cercadinho


Apolo Heringer, Pablo Cardoso e duo Paisagens Móveis

Presença de intérprete de Libras

Apolo Heringer é morador do bairro Estoril. Idealizador do Projeto Manuelzão, é escritor, médico e professor da UFMG. Pablo Cardoso e o duo Paisagens Móveis participam do grupo Histórias Locais da mostra Córregos Vivos.

Este projeto foi realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. Projeto nº1243/2017.

fale com o projeto:

corregosvivos@gmail.com